Bolsa de Suínos
DataDiferidoTributado
06/08/20207,500,00
30/07/20207,100,00
30/07/20207,100,00
23/07/20207,100,00
Notícias
11/08/2020 •  [Na mídia] Exportações de carne suína alcançam 100 mil toneladas em julho
11/08/2020 •  Assuvap comemora Dia dos Pais
06/08/2020 •  Bolsa de Suínos do Interior de Minas (BSim) define preço a R$ 7,50
05/08/2020 •  [Na mídia] Com exportações em alta, cotações internas do suíno renovam máximas
Eventos
13/08/2020 •  Confira os próximos eventos da suinocultura
Galerias
31/01/2020 •  Confira as fotos da 10ª Suinfest - 2018
07/07/2016 •  Fotos: 9ª Suinfest, dia 07/7
06/07/2016 •  Fotos: 9ª Suinfest, dia 06/7
05/07/2016 •  Fotos: Jantar de Abertura 9ª Suinfest (dia 05/7)
Notícias

[Artigo] Cuidados com o uso da medicação injetável em suínos de recria e terminação




Parte 1
 
 
 
Por Brenda Marques*
 
 
Os programas de medicina veterinária preventiva baseiam-se na realização de uma série de medidas para o controle de doenças que são importantes na suinocultura. As ferramentas disponíveis contemplam o uso de vacinas, medidas de higiene e manejo e o uso de antibióticos, em casos de doenças bacterianas. 
 
 
Especialmente no caso dos antibióticos injetáveis, seu uso é fundamental na recuperação de animais clinicamente doentes e mais debilitados, pois não depende da ingestão de água ou ração. Há a vantagem de uma resposta clínica rápida e mais precisa, pois tratamos o indivíduo e não a população. Em casos estratégicos, os antibióticos injetáveis podem ser utilizados também de forma metafilática, o que consiste na medicação de animais doentes e de outros da baia, já prevendo que suínos possam desenvolver a infecção. 
 
 
Alguns cuidados são fundamentais para que tenhamos sucesso na utilização dos antibióticos injetáveis, buscando sempre seu uso racional dentro do sistema de produção. 1) a medicação de animais doentes no início da infecção.
Para isso, é importante a inspeção cuidadosa das baias, de preferência duas vezes ao dia. Devemos nos atentar a algumas mudanças de comportamento dos animais, como: letargia, afastamento do restante do grupo, forma de caminhar, estado corporal e diminuição do consumo de ração. Sempre que possível, é importante aferir a temperatura de animais que demonstrem sinais clínicos, uma vez que eles em estados febris estão na fase aguda dos processos infecciosos. 
 
 
É importante frisar aqui a necessidade de se utilizar antitérmicos em animais com febre, associado ou não à terapia antimicrobiana. A identificação tardia dos suínos doentes é uma das principais causas de insucesso da terapia antimicrobiana, pois muitas vezes medicamos animais em estágios já avançados da infecção, onde perdas zootécnicas consideráveis já ocorreram.
 
 
Médica-Veterinária* 
Gerente Técnica da Unidade de Negócios de Suinocultura da MSD Saúde Animal 
 

08/07/2020

Para sua segurança, altere a sua senha!


Informe a senha antiga, a nova senha e, em seguida, repita a nova senha e clique o botão salvar.


Senha Antiga


Nova Senha


Repita a Nova Senha


   
Label